Category: Coaching (Page 1 of 6)

3 Estratégias para mais Momentos de Auto-Cuidado

Por favor escreva “EU”  nos comentários quem sente que precisava de mais tempo para si próprio (ok, todos ao mesmo tempo não!)

É generalizada a consciência de que ter tempo de prazer, lazer e recuperação , cada dia ou cada semana, é muito importante na nossa vida. Não se trata só de bem estar – em última análise sabe-se que sem este tempo de repouso, sem o desligar e o auto-cuidado todas as nossas relações, saúde e desempenho laboral não estarão no seu melhor.

No entanto, muitas vezes estes momentos não acontecem ou são muito raros, nos nossos dias. Para alguns de nós tem a ver com uma crença profunda, enraizada e muitas vezes inconsciente, de que não o merecemos. Para outros, simplesmente parece impossível, com o estilo e condições de vida que levamos, pressionar o botão “pausa”.

Assim, assegurares que tens os teus momentos de auto-cuidado exige uma mudança de perspectiva e, muitas vezes , criar ativamente esses momentos, ou eles não vão simplesmente aparecer, no meio da agenda hiper-ocupada que temos.

Aqui ficam três sugestões para que aconteçam mais vezes, durante este ano:

1. Não esperes até que pareça “certo”. Pode ser desagradável ter tarefas por terminar, assuntos por resolver, mas uma vez que quer a vida familiar quer o mundo laboral são um sem fim interminável de coisas para fazer, esperar ter tudo “terminado” ou “sob controlo” para teres tempo para ti é uma estratégia destinada a falhar 😉 Aprende a tolerar o desconforto “das- coisas- que- ainda- tenho- para- fazer” e escolhe desligar por um bocado.

2. Escolhe verdadeiro prazer. É fácil cairmos na “armadilha” de preencher o tempo pessoal, de lazer,  com atividades que achamos que devemos fazer, a começar pelo exercício fisico*. Nada contra inclui-lo na tua agenda (pelo contrário!) mas assegura-te que tens tempo, durante a semana, para momentos dedicados a algo que honestamente adores, te saiba mesmo bem – e não porque te sentes melhor pessoa por fazê-lo.

(*se este for o caso para ti , perfeito!)

3. Compromete-te. Na verdade somos muito melhores a cumprir a hora de saída ou a dizer não a algo que apareça em cima da hora, se tivermos um compromisso para ir a algum lado, com alguém, um bilhete comprado ou uma hora agendada. E na verdade, estas tendem a ser atividades que nos despertam e trazem mais prazer do que simplesmente ficar em frente à tv ou nas redes sociais.

nossa inspiração: Psychologies Magazine

subscreve aqui a nossa newsletter (inspiração & conteúdos de desenvolvimento pessoal, mensalmente na tua caixa de correio)

Pequenos passos, Grandes resultados

por Equipa LIFE Training

Um dos grandes temas da nossa Certificação em Coaching tem a ver com objetivos, definição de tarefas e planeamento para atingirmos as nossas metas.

Seja alcançar um objetivo importante, levar a cabo um projeto profissional ou fazer aquelas tarefas necessárias mas que nos desagradam, ajuda se dividirmos o desafio em pequenos passos. Dividir o nosso plano ou objetivo em metas intermédias, que consigamos terminar com facilidade e menos esforço , vai fazer com que sintamos gratificação e alegria durante o processo, vai fazer-nos sentir mais confortáveis e no controlo da situação. Porque nos custa tanto dar o primeiro passo, aqui ficam algumas práticas que te podem ser úteis:

  1. Faz as Perguntas Certas
    Em vez de dares a ti próprios ordens e comandos que soam a obrigação e muitas vezes são provenientes de outras pessoas ( tenho de, preciso de) questiona as tuas motivações e o que podes ou queres fazer para alcançar o teu objetivo? O nosso cérebro gosta de perguntas – direcionadas para metas espeficias e realizáveis no curto-prazo).
  2. O poder das pequenas ações
    Escolhe objetivos tão pequenos que quase pareçam ridículos. Para começar, define um objetivo ao qual não tenhas nenhuma resistência e que não te possas desculpar de não conseguir atingir.
  3. Torna o desafio divertido
    Muda o possivel no contexto ou na forma como defines os objetivos para tornar o momento agradável, divertido
  4. Reorganiza o teu dia
    Onde se concentra o tempo perdido do teu dia? Em que parte do dia podes aproveitar meia hora, dez ou mesmo cinco minutos para dedicar ao teu objetivo, só por aproveitares melhor o tempo( acordar mais cedo um pouco, ver menos televisão à noite, reformular as rotinas de fim de semana).

descobre a nossa Certificação em Coaching

Felicidade e Desenvolvimento Pessoal

por Equipa Life Training

 

Há uma corrente que defende que a felicidade é um sentimento subjetivo que advém de termos sensações agradáveis no nosso corpo. A teoria da felicidade “prozac” defende que esta depende da produção de hormonas do bem estar pelo nosso organismo e acredita que para sermos felizes precisamos de recriar e trabalhar no nosso sistema bioquimico.

Há outra corrente que afirma que a felicidade não é o excedente de momentos agradáveis sobre momentos desagradáveis. A felicidade consiste em entender a vida como um todo, como sendo algo significativo e que vale a pena. Existe um importamente componente cognitivo e ético na felicidade. Os nossos valores fazem toda a diferença. Uma vida com significado pode ser extremamente satisfatória mesmo no meio de enormes provações, ao passo que, se for insignificante é toda ela uma provação, por muito confortável que seja.
O significado que atribuímos às nossas experiências explica grande parte das sensações de bem -estar ou mal -estar com a vida.

E há ainda uma filosofia milenar que nos diz que todos os nossos sentimentos subjetivos são apenas vibrações fugazes que se alteram a todo o instante e que a busca da felicidade é a busca da serenidade e da não valorização desses sentimentos subjetivos, agradáveis ou desagradáveis.
Estará, então, a felicidade na procura do bem -estar físico e no que nos dá prazer? Estará no auto-conhecimento e na análise das crenças e valores que nos servem ou não? Estará na resignificação , no relaxamento e na desvalorização dos fatores internos e externos de bem ou mal-estar?

A Felicidade é um assunto que nos apaixona – e não o tratamos de ânimo leve, por cá.
Refletimos e aprendemos de várias fontes, exploramos linhas de pensamento e partilhamos diferentes ferramentas e técnicas que, acreditemos, ajudam cada pessoa a aproximar-se mais de quem é, na verdade.

E se há sentimento que prevaleça durante as nossas Certificações , Eventos  e Formações é … a Felicidade!

vê na nossa Agenda as próximas Certificações e Eventos

Afinal , o que é o Coaching?

por Equipa Life Training

Muitas definições de Coaching já foram feitas. A maioria converge para o conceito de facilitar ou ajudar o indivíduo, ou uma organização, a conseguir atingir algum tipo de mudança, aprendizagem ou competência, através de uma relação de curto prazo, com um objetivo especifico.

Para nós, Coaching é a arte de explorar , através de uma conversa orientada, os caminhos possíveis para ir do ponto A ( onde estou)  ao ponto B ( onde quero estar), e o papel do Coach é facilitar o processo do seu cliente em avançar até ao seu objetivo ou estado desejado.

No Coaching by LT focamos a atenção e a energia no futuro e em como vamos chegar lá , fazemos perguntas (das poderosas!) para que o cliente chegue ao auto-conhecimento, à sua verdade, e aos seus próprios objetivos. Focamo-nos nas soluções e nas forças do cliente e orientamos a conversa para o que o cliente quer e deseja.

Acreditamos que cada pessoa tem dentro de si todos os recursos de que precisa para descobrir o seu próprio caminho, a sua própria verdade – haverá maior “expert” em Ti do que tu próprio?

Para isto precisamos de trabalhar a nossa auto-consciência , o nosso auto-conhecimento e definir onde queremos chegar, o que queremos, o que importa, na verdade, para cada um de nós.

Precisamos de descobrir quais são as características que nos vão levar longe nesses objetivos e quais os possíveis obstáculos (internos e externos) que teremos de enfrentar. Precisamos de suporte e de uma estratégia concreta, de nos focarmos nos pensamentos e atitudes que nos servem.

E precisamos de aprender a aceitar todos os reveses do caminho, acolher todas as emoções e barreiras, todos os “falhanços” com uma atitude mindful sobre nós próprios e sobre a vida.

Na nossa Certificação , integramos modelos de PNL, modelos de desenvolvimento pessoal , aprendizagens da psicologia positiva e do mindfulness e temos uma visão moderna e simples do Coaching , uma forma dinâmica e entusiasmada de olhar para a vida, uma atitude positiva e interventiva – é a isso que chamamos Coaching by Life Training.

A Certificação em Coaching não serve só para fazer sessões formais. As técnicas e aprendizagens, simples, práticas e transformadoras que oferecemos na LIFE Training podem (e devem!) ser aplicadas a ti próprio ou como suporte a outros papeis na tua vida pessoal (com impacto nas relação com os filhos, amigos e familiares) ou profissional (tantos médicos, terapeutas, lideres de equipas, gestores, treinadores, professores fizeram connosco a Certificação!)

O Coaching permite-nos desfrutar muito melhor desta Aventura – a Vida, claro!

sabe mais sobre as próximas datas da nossa Certificação Internacional em Coaching aqui

Uma reflexão sobre o Orgulho

Uma interessante discussão no seio da equipa da LIFE Training sobre o sentimento do orgulho, motivou-me para escrever este post. Há muito que tinha vontade de o fazer, até porque observo com interesse a utilização alargada desta palavra. Acho que vais gostares destas reflexões. Por favor, sente-te à vontade para comentar e partilhar!

O orgulho é assim definido na Wikipedia

Orgulho é um

sentimento de satisfação pela capacidade ou realização ou um sentimento elevado de dignidade pessoal. Em Português a palavra Orgulho pode ser vista tanto como uma atitude positiva como negativa dependendo das circunstâncias. Assim, o termo “pode” ser empregado de maneira errada tanto como sinônimo de soberba e arrogância quanto para indicar dignidade ou brio.”

No fabuloso estudo sobre emoções do Dr. David Hawkins (em Power vs Force), o Orgulho é apresentada como a última das emoções negativas (obtendo 175 numa escala em que a emoção neutra é alcançada aos 200 pontos e se torna positiva a partir daí; para quem quiser perceber melhor como esta escala funciona, aconselho vivamente este livro, considerado pelo Dr. Wayne W. Dyer o mais importante livro que leu na década de 90).

Aqui vão as minhas reflexões pessoais:

– o Orgulho está ligado ao Eu (talvez alguns afirmem que está ligado ao conceito do Ego), pois fico orgulhoso de coisas, eventos ou pessoas em função da sua ligação comigo. Fico orgulhoso do meu país, da minha equipa, dos meus filhos, do meu trabalho, da minha reação, do meu resultado. É quase como se o motivo de destaque fosse a relação comigo! 😉

– o Orgulho está ligado a um quadro de referência e comparação. Fico orgulhoso por comparação com outras coisas, eventos ou pessoas que não estão relacionadas comigo. Fico orgulhoso do meu filho por comparação com os filhos dos outros. Sinto-me orgulhoso do meu país por comparação com os outros países.

– o espectro sentimental do Orgulho parece acabar na Vergonha. Quando aquilo pelo qual estou orgulhoso termina ou se altera fortemente, passo a sentir vergonha. E a Vergonha é um dos mais negativos sentimentos humanos. Quando o orgulho termina, muitos passam diretamente para a vergonha dos filhos, do país, do clube, do seu comportamento, da sua reação, etc.

Pessoalmente, optei, há anos, por me distanciar deste sentimento. Fico contente pelos meus filhos, ou pelo meu país, ou pelo meu clube, ou pela minha empresa (em vez de ficar orgulhoso).

Faz um pequeno treino linguístico. Sente a diferença ao dizer as seguintes frases:

– Sinto-me orgulhoso de… (completa a frase com algo que faça sentido para ti)
– Estou contente por… (completa a frase com algo que faça sentido para ti)

Consegues perceber a diferença? Em que zona da tua fisiologia sentes a diferença? Bom trabalho!
Fico contente por ti! 😉

Texto de Pedro Vieira publicado em 2012

Page 1 of 6

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén